A Prestec, tradicional fabricante de transmissores PDM de alta eficiência em amplitude modulada A.M., inova com sua linha em estado sólido de alta potência, aumentando a família de seus mais recentes transmissores inteiramente duplos e independentes, denominados DIGITRANS, plataforma básica para as novas tecnologias. Fabricados dentro da moderna filosofia modular, a arquitetura de construção do equipamento foi concebida na forma de dois transmissores idênticos e independentes, à metade da potência, montados em um só gabinete para funcionamento em conjunto ou individualmente.

 

 

Sendo este o resultado de um longo período de trabalho de desenvolvimento tecnológico aliando o menor custo operacional à maior eficiência, baixo consumo e extrema confiabilidade, devendo satisfazer o radiodifusor com qualidade e longa vida útil.

Nestes transmissores foram empregados os mais modernos transistores mosfets de alta potência de última geração em seus circuitos.

Todos os estágios e módulos do transmissor são comuns a todos os modelos permitindo a padronização do conjunto, e os iniciais, tais como osciladores, excitadores, geradores de PDM, e moduladores são do tipo plug-in e suas respectivas fontes estão disponíveis em duplicata nos transmissores. Os módulos de potência, também do tipo "plug-in", apresentam-se sempre em números pares respectivamente aos grupos A e B.

No interior destes módulos, temos parte de filtragem de tensão de fonte, excitadores de R.F. e PDM, amplificadores de potência PDM, com transformação analógica final de áudio, CW e amplificadores de potência de R.F. modulados elaborados em circuito ponte.

Os módulos de potência são alimentados por duas fontes simétricas e podem ser retirados e colocados individualmente com o transmissor no "AR".

Outra inovação dos HTMS é que possuem um painel analítico de comando e monitoração com sinalizadores de presença, propósito, estado e eventos de fácil assimilação.

O painel analítico do qual o transmissor foi dotado demonstra toda a arquitetura de construção por meio de figuras e símbolos indicando a seqüência de funcionamento e prima pela simplicidade de operação, manutenção e excelentes recursos de sinalizadores de estado, propósito, eventos e proteções permitindo o funcionamento autônomo.

Todos os transmissores são assistidos por um módulo de comando lógico que supervisiona os valores operacionais, permitindo a operação não-assistida, podendo ser comandado remotamente além de, assumir o controle operacional na aproximação de intempéries, desligando automaticamente metade do transmissor e reduzindo em 50% a tensão da alimentação dos módulos da parte remanescente como proteção adicional nas tormentas e ao fim desta, o retorno à operação normal automaticamente.

Os HTMS possuem também um reciclo que na ocorrência de eventos proporcionam o corte do PDM retornando em seguida ao "AR".

As duas fontes de potência dos grupos A e B são simétricas e proporcionam + e - 180V para alimentação dos módulos.

Estas fontes são controladas trazendo enormes vantagens diante das singelas fontes lineares ou das complexas chaveadas dada a sua simplicidade e grande oferta de recursos operacionais podendo permitir a subida gradativa de tensão em rampa ao banco de capacitores ao serem alimentadas, proporcionam diversas tensões operacionais, além de estabilizar a tensão de saída podem entrar em corte abruptamente, cortando o fluxo de corrente de grande quantidade de potência, sem comutação, por meios eletrônicos.

Estes novos equipamentos transmissores, dada a moderna filosofia de construção, proporcionam uma grande melhora na qualidade de áudio transmitido, economia de energia elétrica, redução de custo de manutenção, dispensando gastos elevados com reposição periódica de válvulas, utilizadas nos transmissores de geração precedente.

Os HTMS, de construção modular podem operar de forma contínua na potência máxima nominal com 145% de capacidade positiva de modulação. Conforme tabela:


Modelo
Potência máxima Nominal
Capacidade positiva de Modulação
HTMS-12k5/2
12500W
145%
HTMS-6k5/2
6500W
145%
HTMS-5k5/2
5500W
145%
HTMS-3k3/2
3300W
145%
HTMS-2k6/2
2600W
145%

 

Ou ainda, com 50% destas potências com metade do transmissor inteiramente desligado e idêntica capacidade positiva de modulação.

O equipamento tem por princípio básico de funcionamento a utilização da técnica de largura de pulso para controle de potência e modulação denominada PDM efetuada por chaveamento série em classe "D" da fonte à carga por meio de uma sub-portadora de pulso modulada.

A modulação de amplitude é de alto nível apresentando extrema linearidade e reduzida distorção, além de proporcionar capacidade positiva de modulação de até 145% (mesmo à máxima potência), o que corresponde as seguintes potências de pico em programa:


Modelo
Capacidade positiva
Potência nominal
Potência pico nominal
Potência
Potência pico
HTMS-12k5/2
145%
12,5kW
105kW
10kW
84kW
HTMS-6k5/2
145%
6,5kW
54,6kW
5kW
42kW
HTMS-5k5/2
145%
5,5kW
46,2kW
5kW
42kW
HTMS-3k3/2
145%
3,3kW
27,7kW
2,5kW
21kW
HTMS-2k6/2
145%
2,6kW
21,8kW
2kW
16,8kW

 

O conceito de duplicidade oferece inédita confiabilidade operacional, ativa e passiva nos equipamentos, com incríveis recursos operacionais transmitindo segurança de funcionamento em qualquer circunstância de forma bastante simples, ou seja, são equipamentos modulares e aqueles de operação singela, tais como osciladores, geradores de PDM, excitadores de R.F., de PDM e suas respectivas fontes (16) possuem reservas imediatas contando com um exclusivo painel dedicado de programação de módulos e fontes denominados grupos A e B que permitem a escolha alternativa de funcionamento de qualquer um indistintamente, mediante o toque em apenas um controle para cada alternativa.

Já quanto aos módulos de potência, dos grupos A e B, podem operar simultânea ou independentemente mediante a manipulação de um simples toque no painel de comando proporcionando 50% de redução de potência no transmissor com metade deste inteiramente desligado.

Os módulos de potência possuem uma chave de acionamento modo ativo que permite um auto teste de sistema desligando-a e observando no wattímetro de saída de R.F. do transmissor o incremento que o módulo estava proporcionando.

Além disso, uma vez desligado, o módulo em questão pode ser retirado do gabinete com o transmissor ligado, bastando para isso soltar dois parafusos recartilhados e sacar o módulo.

O painel analítico possui quatro seletores de potência, com indicadores de propósito permitindo a escolha de potência desde 250W até a máxima de cada modelo assistido por um monitor de potência de R.F. com quatro níveis distintos que testemunham a intenção da potência efetuada e esta denominada paridade funcional.

Os ajustes individuais de potência encontram-se nos módulos A e B geração de PDM e não se sobrepõem.

Os transmissores possuem quatro (4) instrumentos analógicos de painel com indicadores posicionais de chaveamento que permitem 16 leituras diretas e 25 auxiliares.

A de pulso, em percentagem (exclusividade Prestec), revela a verdadeira situação operacional do transmissor quanto a sua potência CW e capacidade positiva de modulação. Observe também que as leituras de potência incidente e refletida são mostradas simultâneas e independentes.

A alimentação de rede elétrica é trifásica de 220 ou 380V protegida com MOV'S. Possui indicadores de ausência de fase, rede, alta ou baixa com leituras individuais alimentando exclusivamente 2 transformadores de potência dos grupos A e B com alta isolação contra surtos e faíscas.

Dentre as inovações, damos um enfoque especial ao uso de fonte controlada em cada um dos grupos, o que dispensa a necessidade de se regular a voltagem de forma externa mantendo a potência do equipamento imune frente às variações de rede sem alterar a largura do pulso e conseqüentemente a capacidade positiva de modulação do equipamento além de proporcionar ao ser ligada, alimentação gradativa de voltagem crescente em rampa ao banco de capacitores de filtro, estágios moduladores e amplificadores de potência de R.F. evitando sobrecarga e transientes de alto risco.

Uma das grandes vantagens dos HTMS é a possibilidade de se evitar interrupções de funcionamento dos transmissores por falta de energia elétrica uma vez que os equipamentos aceitam a inserção de operação a bateria podendo também ser fornecidos com ventilação selada para operação em ambientes agressivos, ambos opcionais.

O tratamento do áudio foi otimizado com a inserção de protetores de entrada, filtros de R.F., filtros passa baixas e passa altas a fim de que freqüências subsônicas e supersônicas não venham modular os equipamentos desnecessariamente.

O áudio possui dois limitadores de picos positivos e negativos programáveis e um AGC de áudio/ portadora de forma que a profundidade de modulação permaneça imune diante da troca de potências.

Os HTMS possuem no painel analítico um monitor interno imutável de modulação 100% negativa, um de sobremodulação que aciona o reciclo do equipamento. Dispõe ainda de um indicador de ausência de áudio, um de modulação positiva 130% além de medidor analógico em M2 de picos positivos e negativos, independentes com escala até 150% (exclusividade Prestec).

Os transmissores contam ainda com uma redução automática de potência diante da aproximação de intempéries, descarga estática e potência refletida alta, onde nestas situações permanecerá por um período de dez (10) minutos. Caso não haja novas incidências após este período, a operação voltará ao normal (exclusividade Prestec).

A redução de potência faz-se mediante o corte eletrônico da fonte controlada do grupo B, desligamento de saída deste grupo do somador e colocação a terra para fins de proteção; caso ainda, a intensidade dos surtos seja alta, a fonte do grupo A remanescente passa a ter a sua tensão reduzida e amortecida de forma que não haja possibilidade de circular corrente pelas mesmas já que são simétricas, levantadas e independentes do nível de terra.

O fornecimento dos transmissores dá-se com uma rede otimizadora interna com recursos para até 90º de ajuste de fase onde encontram-se inseridos no circuito deflagradores a ar e gás, além de uma linha de retardo, fornecida com o equipamento, garantindo imunidade às intempéries.

O equipamento possui quatro (4) wattímetros internos que efetuam as medições de potência direta e refletida nos pontos: Antena, otimizador, saída grupo A e saída grupo B, contando ainda com um LED indicador de otimização no painel analítico, cujo ajuste de nulo a rede otimizadora pode proporcionar.

Outra novidade do HTMS é que eles não possuem ajustes nos seus circuitos de potência onde que é controlada pela tensão de fonte e largura de pulso. Na elaboração destes circuitos foram utilizadas técnicas de banda larga (broad band) com otimização de bandas laterais de modulação e largura de +- 20kHz para compatibilidade com as novas tecnologias digitais.

Os módulos de potência são duplos internamente, recebem a denominação de esquerdo e direito e suas saídas estão dispostas em dois (2) conectores tipo UHF em 50 Ohms proporcionando 800W CW a cada lado, com capacidade para manipular uma potência de pico de até 13,5kW por módulo.

Os transmissores possuem dois (2) somadores grupos A e B e cada módulo possui 2 saídas, totalizando 8 saídas somadas à saída de cada grupo.

A saída destes somadores alimenta um combinador modificado que soma as potências de cada grupo A e B, tudo em 50 Ohms, perfazendo a saída total do transmissor.

Os transmissores possuem sensores para todas as suas funções, apresentando ótima performance e total aproveitamento de seus recursos tendo chaveamento no painel de comando (local/remoto) que permite a operação externa pois estes possuem entradas para controle remoto com acopladores óticos de potência nominal, operação, média, reduzida, desliga, reset e inibição dos grupos A ou B.

Os HTMS possuem três (3) chaves de R.F. no combinador que executam as seguintes funções:

k1 - Oferecer comando para a chave automática de antena (externa), como também coloca a saída do transmissor a terra sempre que desligado para fins de proteção contra eventuais faíscas oriundas do sistema irradiante (mesmo com o transmissor desligado).
k2 - Colocar a saída do grupo A a terra sempre que desligado para fins de proteção
k3 - Colocar a saída do grupo B a terra sempre que desligado para fins de proteção

Os HTMS apresentam também dois relés que executam as seguintes funções:

k4 - Escolher os terciários de 220V dos transformadores de potência dos grupos A ou B para alimentação das fontes dos estágios iniciais, priorizando o grupo A.
k5 - Escolher a tensão de 220V ou 127V para operação dos ventiladores de refrigeração dos transmissores, denominado ventilação normal e máxima.
A operação em 220V dos ventiladores ocorrerá ocasionalmente quando os sensores de temperatura indicarem a necessidade de maior refrigeração.

Os transmissores possuem também diversos circuitos satélites autônomos e independentes de medição de potência direta e refletida (4) monitor de potência programada, monitor de modulação com indicação de ausência de áudio, 100% negativo 130% positivo e sobremodulação, sensor de surtos autoprogramável para operação com potência reduzida na ocasião de intempéries, sensor de variação de rede com compensação na fonte, sensor de ausência e fase de rede, etc.

O fornecimento é feito com rodas no gabinete e base soleira para após o transporte, assentar o equipamento de forma definitiva, na ocasião da instalação.

A garantia é de 2 (dois) anos a contar do informe do equipamento pronto posto fábrica São Bernardo do Campo.

HTMS-12k5/2HTMS-6k5/2HTMS-5k5/2HTMS-3k3/2HTMS-2k6/2